Correção de redações

Como funciona?

Ao escolher um dos pacotes abaixo, você indicará também o seu objetivo (banca avaliadora ou tipo de prova para a qual está se preparando). Depois da confirmação de sua compra, você enviará uma foto do seu texto (a caneta e bem iluminado).
O prazo de envio é de até oito meses após o pagamento. Sua redação será corrigida e comentada de acordo com o seu objetivo.

No final desta página, há algumas sugestões de temas de redação. Use e abuse deles! Se preferir, pode escrever sobre outros assuntos, só não se esqueça de escrever o tema no alto de sua folha.

Eu sugiro que você envie um texto de cada vez para aproveitar a correção progressiva, ou seja, aprender com os erros da redação anterior e não dar mole na próxima.

O prazo para receber a redação corrigida é de até dez dias.

Desde já, estou na torcida por  você e pela realização do seu sonho.
Mais do que nunca, agora ESTAMOS JUNTOS de verdade.

Beijo grande,
Professora Carol.

#NãoTemJeito #VaiPassar #Redaçãoparanósélixo #Vamoscomtudo

carol-blue-aside

Quero testar

R$ 24
  • Correção de 1 redação

Quero passar

R$ 37.90
  • Correção de 2 redações

Não tem jeito, vou passar!

Mais popular
R$ 57.90
  • Correção de 4 redações

Chupa, mundo! Passei

R$ 77.90
  • Correção de 6 redações

PALAVRA DOS APROVADOS

- Rayssa Wyne
"Quando eu penso em pessoas que torcem por mim e se dedicam pela minha luta, a professora Carol me vem em mente na hora.Ela fez com que o português deixasse de ser um monstro e passasse a ser meu aliado na prova. Obrigada por tudo!"
Sanderson Melo
"Além da redação excelente que consegui fazer no meu concurso, aprendi com a Carol a não desistir, mesmo que a dificuldade seja grande. Valeu, Carol! Estamos juntos sempre!" #NãoTemJeito
Renan Concas
"Obrigada pelo apoio de sempre, Carol! É uma grande alegria ver que hoje você ajuda alunos de todo o Brasil como um dia me ajudou também. Eu consegui e sei que todos que se esforçarem também terão sucesso. Grande abraço!"

Temas

Excesso de internet pode causar doenças e depressão

Abstinência da rede provoca efeitos similares aos encontrados em dependentes químicos

O chamado estresse digital indica falta de habilidade em lidar com as pressões do cotidiano atual, como a “obrigatoriedade” em estar sempre conectado e de saber logo sobre tudo que se passa no mundo. “Somos bombardeados de novidades e de pressões para usar a internet o tempo todo. Já chegamos em um nível em que um mundo sem internet parece impossível. Mas o problema é quando a falta da web passa a gerar sofrimento intenso”, afirma o médico Hewdy Lobo, psiquiatra do Hospital Lacan.

A cirurgiã-dentista Vanessa Fazzi, 38 anos, admite ficar angustiada quando não pode acessar a internet. “Parece que algo está faltando”. Segundo Vanessa, as redes sociais são irresistíveis. “Vejo o Facebook e o Instagram constantemente, fora o Whatsapp, que não desgrudo. Além disso, tem o Waze, que utilizo para me orientar no carro, sites odontológicos e livros virtuais. Fico conectada pelo celular 24 horas por dia”, admite Vanessa.

Sentar à frente de uma tela de computador por cinco horas diárias pode aumentar drasticamente o risco de depressão e insônia, segundo uma nova pesquisa realizada na Chiba Univertsity, no Japão. Estudos anteriores davam conta que o uso excessivo da rede causava sintomas como dor de cabeça, olhos embaralhados e dor nas costas. Mas o novo estudo mostra que há efeitos complicadores para a saúde mental também.

Segundo a mostra, que durou três anos com 25 mil trabalhadores, a maioria reclamou de se sentir depressivo, ansioso e relutante em acordar e ir trabalhar de manhã. Eles ainda reclamaram de sono quebrado, pos acordam muitas vezes durante a noite, “O resultado demonstra que é preciso ficar menos tempo conectado à internet”, disse a médica e responsável pela pesquisa, Tetsuya Nakazawa, ao jornal Daily Mail. 

O psquiatra Lobo alerta que a falta da internet pode causar reações e efeitos parecidos com aqueles que são encontrados em dependentes químicos.

Crianças e adolescentes que já nasceram num mundo com internet são um dos mais atingidos por essas enfermidades. “Nessa idade as funções executivas não estão completamente formadas, como tomada de decisões, planejamento e controle dos impulsos. Com isso, os jovens apresentam sintomas de depressão precocemente e se tornam vítimas fáceis”, explica o psiquiatra Lobo.

Pressionados a estarem sempre disponíveis e conectados, os adultos que dependem de redes sociais e até de aplicativos de paquera também podem estar vulneráveis. “O mundo real está cada vez mais solitário e árduo. Adultos e idosos buscam na internet uma forma de suprir suas emoções. Isso pode se tornar grave”, diz Lobo.

Todas as doenças ou sintomas provocados pelo uso excessivo da internet estão relacionadas a doenças que já existiam, segundo Lobo. “A dependência da web tem as mesmas características diagnósticadas naqueles que usam substâncias psicoativas, que agem no sistema nervoso central e causa mudança de comportamento”, afirma.

Uma vez que se estabelece uma doença relacionada com o uso da internet, é necessário que se busque ajuda com profissional especializado, que poderá fazer o diagnóstico adequado e planejar a melhor intervenção para o caso.

“Está na hora de aprendermos os limites do uso destas tecnologias para o nosso bem-estar. No caso das crianças e adolescentes, devemos ensinar estes limites”, afirma o psiquiatra Lobo.

Fonte: https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/uso-excessivo-da-internet-pode-causar-doencas-como-depressao,0689cd0f280c3ec5d3d4d954174c7e4696ieRCRD.html

 

 

“MEC diz levar em conta “respeito à diversidade” em novo currículo escolar.
Exercitar a empatia, o diálogo, a cooperação e o respeito deverá fazer parte do cotidiano das escolas. Além disso, os estudantes deverão acolher e valorizar a diversidade. Estas são algumas competências previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que deverão servir de orientação para todas as escolas públicas e particulares do país.
Além de definir o que deve ser aprendido a cada ano, em cada área de conhecimento, a BNCC define dez competências gerais, que deverão ser desenvolvidas em todas as disciplinas ao longo da vida escolar do estudante. Entre essas competências, está a necessidade das escolas serem capazes de fazer os estudantes se conhecerem, apreciar-se e cuidar da sua saúde física e mental, reconhecendo suas emoções e dos outros. O objetivo é atingir a chamada formação humana integral.”
Fonte: notícias.uol.com.br/educacao 
Em 16/04/2017.

Com base nessa notícia e na sua análise da  nossa crítica situação atual quanto à intolerância generalizada, construa um texto sobre o papel das escolas na luta pelo respeito à diversidade.

O gênero deve seguir os padrões estruturais e linguísticos da dissertação-argumentativa.
Não se esqueça do título!


Bons estudos!
Professora Carol Mendonça.

Os textos abaixo foram retirados do exame da segunda fase do vestibular da UERJ.

TEXTO I

TEXTO II

TEXTO III

 

“Segundo o sociólogo Jean Baudrillard, quanto maior o acesso à informação, maior a necessidade de coisas novas, que, no entanto, logo envelhecem. Cria-se, assim, a necessidade incessante de se obter aquilo que é novo para não ficar atrasado”.

(Adaptado de Revista UNIPAR 2015)

Redija um texto dissertativo-argumentativo sobre a incessante busca pelo novo que caracteriza a atual geração.

Bons estudos!
                                                                                                Professora Carol Mendonça.

Segundo notícia divulgada pelo site da UOL “No ano passado, foram vendidos 389,27 milhões de livros no país. Dividindo-se esse número por 188 milhões, temos média de 2,07 exemplares/ano por brasileiro com mais de cinco anos. Esse total, contudo, inclui os 134,59 milhões de unidades compradas pelo governo. Se efetuarmos a conta apenas com os 254,68 milhões de exemplares adquiridos diretamente pelos consumidores nas livrarias e demais canais de venda, a média cai para 1,35 livro/ano por habitante com mais de cinco anos”.

Sendo assim, é evidente o fato de que os brasileiros leem poucos livros. Os prejuízos dessa constatação são indiscutíveis educacional e socialmente, no entanto o grande questionamento é: por que estamos lendo tão pouco atualmente?

Observações importantes:

Seu texto deve ter de 25 a 30 linhas;

O modelo dissertativo-argumentativo é impessoal, formal e persuasivo;

A estrutura composta por INTRODUÇÃO, 2 ou 3 ARGUMENTOS e CONCLUSÃO é obrigatória;

Respeite os Direitos Humanos e proponha SOLUÇÃO para a problemática;

ARRASE, criatura!!!

Quando terminar, passe o texto para uma versão a caneta, escolha um plano e enviei para mim!

Beijo grande,
Professora Carol.